quinta-feira, 10 de agosto de 2017

A luz vive dentro de você

Mesmo que se equilibre,
Que ignore,
A vida sufoca.

Sufoca o peito de quem se sente oprimido,
Pelo poder,
Por tudo que está fora do nosso alcance,
Uma hora é impossível engolir,
Acaba sufocado por tudo que não soube resolver.

Além disso,
Existe toda uma energia querendo se expandir,
Lutar pelos sonhos,
Desenvolver os talentos,
Ser tudo o que sempre quis,
Que não conseguiu ser.

Mas não é tão simples,
Muitas vezes é como se corresse para quando chegar na linha de chegada,
Haver o caminho percorrido multiplicado por cem,
Somado com montanhas, mares, tempestades para atravessar.

Nesse momento você se sente pequeno,
Esmagado e insignificante,
Perde a paciência que cultivou até então.

Só que não basta,
Não é suficiente treinar para perder a guerra,
Não é justo consigo mesmo,
É exagero, ridículo,
Todo seu sofrimento é minúsculo,
Quando se olha para o lado.

Se for observar esse aspecto então,
O mundo está acabado,
Só há o que lamentar.

Isso é fraco,
É pouco, inútil,
Ser mais uma vítima da vida.

É preciso sentir o que há dentro de nós,
Que tantos cultivam e acreditam,
Se todo o mal e dificuldade é capaz de te esmagar,
Encontre um refúgio,
O bem não está longe.

Busque dentro de ti,
Se houver encontrará nos outros,
Todo o amor que você plantou,
Volta para ti e dá forças para seguir.

terça-feira, 11 de julho de 2017

Se sente, reaja

Sinto a juventude,
A alegria e esperança que é viver,
O quão difícil é crescer,
O quão prazeroso é,
E toda a intensidade.

Sinto o proletariado,
A população de baixa renda,
Os trabalhadores que lutam pra comprar o ar que respiram,
As injustiças,
O quanto o topo da pirâmide explora quem tá embaixo.

Sinto a arte que pulsa forte,
Não só no meu peito,
Mas na alma de tantos brasileiros que acabam oprimindo suas capacidades,
A importância da cultura e o quanto sofremos para ter o mínimo de espaço.

Sinto tudo mesmo que não sinta nada,
Sinto na prática o que achava saber,
Como Osho disse, só conhecemos a verdade se a vivenciamos,
A verdade dos outros para nós é uma mentira.

Então que viva cada segundo,
Descubra todas as verdades,
Que elas sejam motivo para algum impulso renovador,
Que paremos com nossas caras chatas,
Saindo desse ciclo sem fim,
Afinal somos únicos,
Que façamos disso alguma diferença útil.

domingo, 25 de junho de 2017

Sorrateira paz

Chega o dia em que você aprende,
Que a felicidade só depende de si próprio,
Que a paz está dentro de você,
E que pode atrair tudo o que quiser.

Daí você esquece,
Vive tão leve quanto a brisa que vem do mar,
Mesmo que com um ou outro peso que inevitavelmente venha a carregar.

Sorrateiramente,
Quase que imperceptivelmente ganha um presente,
Só que sem fazer aniversário,
Como se fosse algo que havia pedido e esquecido de realizar.

É sincero e leve,
Tem cheiro de calma,
Acelera mas não machuca,
Faz tão bem pra alma quanto tudo que cultivou.

É teu, faz parte do universo, sua responsabilidade,
Mas também é pássaro,
Não é preso,
Voa e pousa por livre e espontânea vontade.

É surpresa a cada instante,
Indefinível e assim torna-se especial,
Como aquela festa que você queria que nunca acabasse,
Mas na verdade é leve,
Encontro com a paz,
A agitação é no máximo o quão curioso se transformou.

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Livre como pássaro

O universo é essa sincronia toda,
Energia que vem e vai,
Se livre,
Voa que nem pássaro quando sai da gaiola,
Atordoado pousa, bagunça,
Se confunde sem saber onde deve ir.

Ainda livre, se tem destino,
Admira a paisagem,
Faz o ninho,
E fica até a próxima viagem.

Livre são todos,
Ou quase todos,
O que diferencia é ter destino,
Decidir entre ir e vir,
Viajar ou turistar.

Pode ser que não saibamos onde chegar,
Mas se desejarmos,
Tivermos uma pura intenção,
Os astros se movem à favor,
Seja lá o que for,
Basta confiar,
Se inteirar,
Ser parte desse todo,
Mesmo sem saber sua função exata.

Que possamos ser como pássaros,
Aprender a voar mundo afora,
Saber onde pousar,
Levar e acrescentar o que houver de melhor,
Porquê nesse mundo o que vale não é quantas vezes voamos,
Mas o quão fluída ela se torna,
O quanto cada viagem é intensa,
E se elas farão parte da nossa jornada.


domingo, 4 de junho de 2017

Destino fatal

Um dia,
Depois o outro,
Cada segundo parece ser uma grande escalada,
E quando chega ao fim,
Mais uma montanha,
E outra,
Mais uma,
Tempestade,
Ventos fortes, chuva e frio te derrubando,
Se você cai?
Levanta,
Se não, continua.

Às vezes parece que o esforço não compensa,
Tudo de novo,
E de novo,
Rotina sem fim.

Pobres vítimas desse ciclo chamado prisão,
Uns chamam de vida,
Mas aquela se perdeu quando você ignorou sua essência,
Ou mesmo que a essência seja objetivo,
Somos frutos de um sistema a ser obedecido.

Hoje, amanhã e depois,
Quem sabe uma hora compense,
Ser sufocado por esse círculo destruidor,
Não é fácil de se libertar.


Representando tudo que estamos condicionados ou acreditamos estar, para se refletir, apesar de tudo, há o que melhorar. Uma ótima semana.✨

domingo, 28 de maio de 2017

Amor mora em ti

SEJA amor,
Não espere ele CHEGAR,
Se o amor não MORA em você,
Você não permite que quando ele for EMBORA,
Leve junto uma parte de TI.

         Essa é minha mensagem para a semana, por mais que bem sucinta e sem rodeios, é o que tento explicar para tanta gente. É o que sinto, o que acredito ser adequado, dentre tantos outros detalhes e controvérsias sobre esse assunto que rende vários poemas e conversas.
       Basicamente, não coloque no outro a responsabilidade de fazer nascer, crescer e morrer um sentimento que na verdade deve existir dentro de você, se a paz mora em ti, e o amor também, o que vem acrescenta, cresce e um dia vai embora, mas não tira o que você o quanto ganhou, pode doer mas não arrancar a felicidade e esperança da sua vida.
       Somos seres em evolução, em constante transformação, nem eu nem você somos capazes de dar alegria e suprir todas as necessidades emocionais e físicas de ninguém, muito menos para sempre.                                                                                 
       Até certo ponto sofrer é natural, ninguém disse que seria fácil, mas o quanto antes tivermos consciência e exercitarmos a ideia de ter esse equilíbrio interior, poderemos perder menos tempo com algo que já está resolvido, aproveitar a vida e se desgastar menos.
      Um pouco complexo né? Espero ter ajudado.

sábado, 20 de maio de 2017

Auto encontro + reflexão

Nunca pensei em desistir dos meus objetivos, e mesmo que simples, não é desse que vou desistir. Parte de mim são palavras que discorrem no papel ou no teclado, e volto a buscar até onde esse meu lado pode alcançar.
Em menos de uma semana escrevi textos de energias opostas, por hora só quero mostrar meu melhor lado e poder motivar quem precisa, por isso escolhi o mais positivo para quem sabe impulsionar o blog:

"Me encontrei em mim mesma,
Após sair das garras de um mundo que criei,
A paz sempre volta,
Interiormente,
É onde posso me encontrar em cada nascer do sol.

Você corta suas cordas,
Até que fique livre,
Toda energia presa flui,
Encontra seu espaço no universo.

É fácil dizer,
Quando você superou,
Talvez ninguém realmente supere,
Mas a questão é prioridade,
Pouco a pouco,
A prioridade torna-se você e o mundo,
Nada mais.

E num solavanco a vida gira,
Como o mundo,
Você que tinha escolhido ficar parado.

A vida é sua é de mais ninguém,
Você atrai e constrói."

~Escrito em 10 de maio de 2017

E tudo isso vem quando sua alma inspira e expira alívio de certa consciência, mas nem sempre é assim, a realidade nem sempre é um caminho perfeito com seus desejos sendo realizados só porque você superou uma fase ruim. A questão é saber se equilibrar quando encontrar adversidades, e não deixar que a queda seja na mesma intensidade, mas no máximo um tropeço. Cada um sabe encontrar sua paz, ou a menos deveria descobrir, e na minha opinião devemos encontrar a base em nós mesmos, nossas próprias raízes, para termos condições de voar e ter onde pousar sem depender muito de ninguém. Não é simples mas não é impossível.
Que isso possa ser instrumento de boas reflexões, gostaria do retorno com a opinião de quem lê, para saber se continuo a dar essa reflexão depois de alguns poemas.
Grata, beijos de luz.❤

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Pare (ser)

Festejar por ser,
Pois parecer é pouco,
Ser livre é infinito,
Parecer é definir o indescritível.

É merecido poder ser,
Deveria ser o mais belo poder,
De quem sabe domar todo o querer.

Triste é quem não é,
Só parece em todos os sentidos,
Culpa de quem?
De quem não é ou de quem define o parecer?

Questões difíceis de se responder,
Mas não é isso,
Ou ao menos deixe toda essa complexidade,
Para agradecer,
Comemorar pela liberdade na sua medida,
Pela vida quando tem o poder de ser.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Via sem volta

Subi,
Num rumo com destino determinado,
Balançando como uma batedeira na tomada,
Já era normal.

Respiro tentando buscar o ar mais fresco,
A ideia mais pura,
Porém inconscientemente me liguei a algo
Que nunca havia ligado antes,
Meu coração era motor,
E as rodas corriam chacoalhando meu cérebro como nunca.

Era impossível tentar romper esse ligamento,
Conjunto recorrente à distração,
Em máquina havia me transformado sem volta,
Desespero era inútil,
Aceitar imprescindível,
Não era só eu,
Eram todos,
Todos eram só um.

Ninguém reparou ou algo assim,
Normal se julgou e ninguém ouviu,
Respirar ou sacolejar?
Diferença não existia,
Melhor ficar assim,
Peça da mesma função,
Independente do que havia dentro de mim.




terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

A vida emociona

Alma sensível com a vida,
Com humanos.
São até comoventes aqueles filmes,
Aquela música então...
Mas a vida?
O real, a emoção, o inédito?
Esses sim fazem meu coração bater forte.

Quando a arte extravasa do coração dos humanos,
Gritando tudo que não pode ser dito,
Posso não chorar,
Mas minha alma aplaude.

Quando alguém abraça forte,
Até quando os olhos dizem muito,
Difícil aguentar.

Quando o tempo e a minha capacidade me surpreendem,
Não sou capaz de acreditar,
Caio em mim.

Sou assim, 
Amante da verdade,
Me emociono com a realidade,
Na alma de cada um.


Escrito em 02/01/2017

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

A c o r d e

O que me incomoda,
Entala, atravessa a garganta,
Por não saber ajudar,
É que somos todos reféns de um mesmo sistema.

Vivemos para trabalhar,
Trabalhamos para viver,
"Sustentados" por taxas incapazes de comprar o mínimo de felicidade.

Estudo?
Se transforma em todo aquele sacrifício,
Que só faz quem pode,
Para um dia TER mais.

Ter o que?
Contas recheadas de grana para pagar nossa velhice?
Se é que chegaremos lá:
Com tantos assassinatos,
Epidemias,
Guerras,
Acidentes,
Ataques do coração que não suportaram nossa corrida pelo dinheiro.

Isso tudo é um lado dessa realidade,
A maioria das pessoas não sabem o que vieram fazer no mundo.
Não é a questão mais fácil de ser respondida,
Mas quem disse que o melhor não seria difícil?

Sua marca no mundo,
O sentido e motivo de acordar todos os dias,
Se perde...

É difícil enxergar a realidade,
Ver que tanta gente precisa de motivação,
E não poder ajudar,
Mas não é minha culpa,
Nem deles,
É de todo um sistema que passa a escravizar,
Um por um.

Se fosse fácil não teríamos a chance de lutar,
A mudança é de dentro para fora,
Sinta o que te move,
Cative o bem,
Só não deixe essa chama apagar,
Senão será só mais alguém,
Mais uma mente seca,
Que não pôde germinar.


quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Relato de uma sombra da cidade

    Andava, com passos largos em direção à vida, independente do quanto o sol iluminasse seu rosto, era mais um domingo de agosto.
    Era tudo inédito, as lojas, as árvores, as pessoas. Os olhares eram os de sempre: profundos e perigosos, que era melhor evitá-los por precaução.
    Podia ser recomendado, desviar dos olhares como fazem nas grandes cidades, mas ela era teimosa, gostava do desconhecido, atrevia se julgasse necessário, ou por pura curiosidade.
    Na verdade não passavam de impulsos, ações involuntárias de sua alma. Até que parou, estática, nem a sombra dos prédios conseguiram apagar o olhar daquela garotinha que chamava com os olhos, espelhos daquela alma tão rica e corpo tão pobre.
   Infelizmente era comum, essa gente que julgavam indigente, espalhadas pelas cidades. Mas ela não era assim, e naquele dia desprovida da ignorância humana, sentiu, o que ela estava sentindo, e seu coração sorriu, porque ela queria doar o que a menina precisava, mas não tinha tanto o que dar naquele momento.
   Desejou muita luz, e tudo mais que fosse necessário a sua família, mas nada disse, se virou e seguiu em, frente, mas não pôde evitar, lágrimas sorrateiras fugiram de seus olhos sem que percebesse. Foi aí que sentiu toda a dor do mundo, concluindo que era muito pesado carregar esse peso sozinha.


~Escrito em novembro de 2016

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Ânsia de escrever

Incrível como escrever se torna essencial,
Uma necessidade,
Seguro refúgio de quem atua sobre as palavras,
Derrama seus sentimentos,
Jorra em folhas todo o peso que incomoda,
Como se pudesse ficar mais leve,
Redigir seria então uma terapia,
Uma arte, 
Ou o amigo passivo de todas as horas.

Posso fugir ou tentar esquecer,
Mas é incontrolável,
Dias sem contar a minha história,
A alguém inanimado,
Papéis quase que rasurados,
Os quais posso nunca mais ler,
Ou até julgá-los inúteis.

Mas há de existir um sentido,
Uma resposta,
É provável que seja um eterno questionamento,
Procurando senso ou direção,
De um coração artista,
Uma vida em busca de ação.


~ Escrito em 20/01/2017